Beber água alcalina é melhor para a saúde? Mito ou verdade?

A indústria de água engarrafada e de purificadores/ionizadores de água tem crescido exponencialmente nos últimos 40 anos. Há muitos tipos de águas engarrafadas, incluindo aquelas de fontes “naturais” (a maioria das quais não são “naturais” nem de “nascentes”), outras com vitaminas, minerais, e a “vedete” dos últimos anos parece ser a água alcalina.

Relembrando um pouco da química do ensino médio, uma solução é “ácida” se tem excesso de íons H+, e “alcalina”, se sobram íons OH-. A relação entre esses íons é medida numa escala chamada pH, onde o pH 7 representa um estado neutro. Se o pH estiver abaixo de 7, temos acidez e, acima de 7, alcalinidade.

A água na sua forma pura H2O deveria ser neutra, com pH 7,0. Mas praticamente toda água disponível na natureza (e nas torneiras) contém outros materiais dissolvidos, assim costuma ter uma queda para um lado ou para o outro, dependendo da fonte e das circunstâncias.

Água alcalina é aquela em que o pH está acima de 7. A maioria das águas alcalinas encontra-se na faixa de pH de 8 ou 9, devido à adição de minerais como cálcio, magnésio e potássio.

A ideia de que a água alcalina traz benefícios para a saúde quando comparada a água potável comum, vem sobretudo de pequenos estudos em camundongos ou estudos in vitro.

Numa busca pela internet você encontrará benefícios como: prevenção de câncer, osteoporose, envelhecimento, hipertensão arterial entre outros.

Mas a verdade é que não há, até o momento, estudos robustos, controlados randomizados em humanos que comprovem qualquer benefício da água alcalina para a saúde humana.

Há uma meta-análise de 55 estudos sobre o poder das dietas ácidas versus alcalinas em contribuem para a perda óssea levando a osteoporose, não sendo encontrado nenhuma associação.

Vamos entender um pouco como fisiologicamente e bioquimicamente é realmente muito improvável que o pH da água ingerida possa afetar nossa saúde.

Há o mito nos submundos da internet que crianças são mais “básicas” e com o processo de envelhecimento vamos ficando mais “ácidos”; argumento esse, usado pelos defensores da água alcalina no aumento da longevidade.

 A verdade é que o pH sanguíneo nas artérias de um recém-nascido é exatamente igual ao de uma pessoa idosa (entre 7,35 e 7,45), ou seja, discretamente “básico”; e se mantém rigidamente nesses níveis durante toda a vida, a não ser que a pessoa fique gravemente doente.

Isso se deve a poderosos e refinados mecanismos regulatórios, chamados tampões (principalmente os pulmões e rins) que, ao eliminar o excesso de ácidos ou bases, mantém o pH do sangue estritamente entre esses valores.

O sangue arterial é apenas um dos muitos componentes do nosso corpo, e cada órgão/sistema tem seu pH próprio, em pessoas saudáveis.

O ambiente estomacal, por exemplo, tem pH na faixa de 2,5 a 3 (muito ácido), pois a mucosa gástrica produz o ácido clorídrico que junto ao suco gástrico ajuda no processo digestivo e isso é normal.

Uma vez que a água alcalina entra em contato com estômago o ácido clorídrico é muito mais forte então nada muda na sua digestão, muito menos no pH do seu corpo ou sangue. Por outro lado, quando bebemos suco de limão também não tornará nosso pH mais “ácido”. Lembrando que se ingerirmos produtos ácidos em excesso pode causar alterações locais em pessoas predispostas (como os dentes e dor de estômago).

A própria dieta que ingerimos composta de carboidratos, gorduras e proteínas na sua metabolização gera ácidos para o corpo. É natural, saudável, e necessário gerar ácidos em nossas células através do metabolismo.

O que ingerimos (comendo ou bebendo) de produtos ácidos no dia a dia é insignificante perto do ácido que produzimos metabolicamente.

Portanto ingerir uma água alcalina não é capaz de “melhorar a acidez do sangue”, como vem sendo veiculado nas redes sociais e no marketing de indústrias de águas minerais e/ou purificadores.

Tal fato também é defendido pela OMS (Organização Mundial da Saúde), que desde 2007 afirma oficialmente que o pH da água não interfere na saúde das pessoas. A água alcalina não causa danos ao corpo de pessoas saudáveis, mas também não traz benefícios, apenas é mais cara.

Lembre-se que existe uma pressão da indústria de águas minerais engarrafadas e purificadores pesando-se a favor dos lucros com essa venda.

O que nosso organismo realmente precisa é de água limpa, potável, em boas quantidades ao longo do dia.

Essa água pode ser conseguida filtrando a água da torneira com nosso tradicional filtro de barro por exemplo. Que aliás, segundo pesquisas realizadas por cientistas norte-americanos, e publicadas no livro “The Drinking Water Book”, é considerado um dos melhores sistemas de purificação de água do mundo, tanto no quesito do poder de filtragem e eliminação de microorganismos e metais pesados, quanto na sustentabilidade.

Referência:

https://www.forbes.com/sites/ninashapiro/2019/08/25/seven-reasons-why-alkaline-water-is-basically-a-waste-of-money/?sh=272338454b29

Dra. Andréa Cunha

Médica Endocrinologista e Metabologista CRMMG 34.892 RQE 11314 Certificada em Medicina do Estilo de Vida Instagram: @draandreacunha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.