O que é gota?

A gota é uma doença comum e tratável causada por deposição de cristais de urato monossódico em estruturas articulares e extra-articulares.

CONHEÇA AS CAUSAS

Para que o quadro de gota possa se desenvolver, a hiperuricemia (aumento do ácido úrico no sangue) é o principal fator de risco. São considerados elevados, em geral, os níveis de ácido úrico acima de 7mg/dl.

Também são fatores de risco a síndrome metabólica, a doença renal crônica, o uso de medicações como os diuréticos e a ciclosporina e algumas outras doenças como a psoríase e as síndromes mieloproliferativas.

É FREQUENTE?

Sua prevalência varia de 0,68 a 3,9% da população adulta, sendo 2 a 4 vezes mais comum nos homens, chegando a 8 vezes em alguns estudos.

COMO SE APRESENTA?

Apresenta-se como surtos de artrite extremamente dolorosa, conhecidos como crises de gota. Estes episódios são caracterizados por edema (inchaço), dor, hiperemia (vermelhidão) e limitação dos movimentos. Podem ser acompanhados de febre e calafrios e geralmente evoluem muito rapidamente com piora da intensidade da dor, chegando no seu nível máximo em cerca de 12 horas. Na ausência de tratamento, as crises costumam ser autolimitadas e durar entre 7 e 14 dias.

As crises ocorrem com mais frequência em apenas uma articulação, embora isto possa variar. Comumente a primeira crise ocorre numa articulação do pé sendo conhecida como podagra.

Entre uma crise e outra, costumam haver períodos intercríticos, onde não há sintomatologia presente. Com o passar do tempo, entretanto, podem aparecer tofos, artrite gotosa crônica e deformações articulares.

Os tofos são depósitos de cristais que formam tumorações firmes e duras que podem limitar os movimentos ou serem esteticamente indesejadas. Podem, ainda, ulcerar liberando o material que está ali acumulado ou apresentar infeção no local.

SE TIVE UM EPISÓDIO, TEREI OUTROS?

Algumas pessoas podem apresentar uma única crise, mas esta não é a regra. A recorrência das crises é de difícil previsão, mas em geral está associada à gravidade da hiperuricemia. E embora haja esta apresentação na forma de surtos, a gota é uma doença crônica. Assim, para que haja prevenção de novas crises e melhora da qualidade de vida, precisamos reduzir o ácido úrico de forma mantida, revertendo a hiperuricemia e dissolvendo os cristais de urato.

As crises podem ser desencadeadas por refeições de alto teor de purina como as carnes vermelhas e frutos do mar, pela ingesta de álcool (de forma especial a cerveja) ou de bebidas açucaradas, por trauma no local ou alguma outra doença aguda.

TEM TRATAMENTO

Durante as crises são usadas medicações anti inflamatórias, corticóides, colchicina e inibidores da IL-1 além de medidas não farmacológicas como gelo local, repouso, assistência quanto à mobilidade, nutrição e hidratação adequados.

Mas o foco principal do tratamento é a redução dos níveis de urato mantendo-os abaixo de 5 a 6mg/dl. As evidências científicas mostram que manter estes níveis baixos leva à supressão das crises, redução dos tofos e previne danos articulares.

Deve-se avaliar o IMC (Índice de Massa Corporal) recomendando a perda de peso nos pacientes obesos, a pressão arterial, a creatinina e a hemoglobina glicosilada, investigando outras doenças crônico-metabólicas associadas (hipertensão, doenças renais e diabetes).

COMO PREVENIR?

O manejo alimentar nem sempre é suficiente e aparentemente as intervenções dietéticas parecem ter pouca eficácia. Ainda assim, são recomendadas a ingestão de dietas equilibradas que auxiliem no controle do peso e da pressão arterial e a diminuição do consumo de álcool e de bebidas açucaradas.

Manter hábitos saudáveis e avaliar os níveis de ácido úrico são a melhor forma de evitar o desenvolvimento e os surtos de gota com consequente prevenção das suas complicações.

***

Baseado no artigo Gout, de N Dalbeth, AL Gosling, A Gaffo e A Abhishek, no The Lancet em 15 de maio de 2021

Dra. Roberta Portugal

Médica formada pela UFF (Universidade Federal Fluminense). Residência Médica em Clínica Médica pela UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e em Endocrinologia e Endocrinologia Pediátrica pelo IEDE (Instituto Estadual de Endocrinologia e Metabologia). Certificada em Medicina do Estilo de Vida pelo International Board of LifeStyle Medicine (IBLM). Instagram: @drarobertaportugal www.drarobertaportugal.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.