Você conhece a Medicina do Estilo de Vida? O novo jeito de fazer medicina que revolucionará sua saúde.

Com a grande quantidade de informação que circula a todo instante no mundo, muitas novidades vão surgindo e isto não é diferente quando falamos da nossa saúde. Muitas novas áreas têm crescido e, por vezes, não sabemos o que é ou não seguro e o que devemos ou não seguir.

A Medicina do Estilo de Vida (MEV) é uma destas novas áreas que se encontra em franco crescimento. E embora tenha surgido há pouco tempo, em alguns países já seja considerada uma especialidade médica.

Mas, então, o que é a Medicina do Estilo de Vida?

A MEV é um tipo de abordagem interdisciplinar, baseada em evidências científicas, que se utiliza de mudanças de hábitos e do estilo de vida do indivíduo com o objetivo de prevenir, tratar e, em alguns casos, remitir doenças crônicas não transmissíveis.

As doenças crônicas não transmissíveis (diabetes, hipertensão, cânceres, doenças crônicas pulmonares) são responsáveis pelo maior número de adoecimento e morte na nossa população e, devido ao nosso modo atual de vida, têm aumentado de forma considerável.

Mas como podemos mudar nosso estilo de vida?

A Medicina do Estilo de vida utiliza técnicas motivacionais para abordar seus princípios fundamentais fazendo com que o paciente assuma a responsabilidade de sua própria condição e em parceria com seu cuidador (médico, fisioterapeuta, nutricionista, enfermeiro, educador físico) possa intervir e transformar seu modo de vida, e, consequentemente, sua saúde.

O paciente se torna cada vez mais informado e ativo no processo de transformação da saúde. As orientações dos profissionais vão sempre existir e as medicações continuarão a serem prescritas quando necessárias. Mas, o objetivo será sempre modificar os hábitos para que menos medicamentos e menos intervenções precisem ser feitas.

Quais são os princípios fundamentais da MEV?

A MEV é baseada em 6 pilares que devem ser avaliados e ajustados para que tenhamos uma vida com mais saúde, maior qualidade e maior longevidade: nutrição, atividade física, sono, controle de tóxicos, manejo de stress e relacionamentos.

Nutrição

A alimentação é um pilar que está frequentemente associado à gênese de muitas doenças. Por este motivo, é peça fundamental no tratamento de muitas delas.

Deverá ser baseada em alimentos preferencialmente de origem vegetal, integrais, com a maior variedade possível – cereais, leguminosas, verduras, legumes, frutas, sementes e especiarias. Deve-se incentivar o consumo dos alimentos da época pois são mais saborosos, necessitam de menos agrotóxicos e tem menor custo financeiro.

Por outro lado, deve-se desestimular o consumo dos alimentos de origem animal e dos alimentos ultra-processados.

Neste pilar devemos nos atentar ainda para as formas de preparo dos alimentos onde devemos evitar as frituras, os temperos prontos, os excessos de sal e açúcar.

Atividade física

A atividade física é segundo pilar. É composto não só pelos exercícios físicos – atividades programadas com objetivos específicos (melhora de condicionamento, ganho de massa magra, melhora de equilíbrio) – mas, também, por aumento da atividade física não programada.

É necessário que passemos menos tempo sentados, diminuamos o tempo de tela e sejamos mais ativos no nosso dia-a-dia e mesmo nas nossas atividades de lazer.

Qualquer atividade física trará em maior ou menor grau benefícios metabólicos e levarão a diminuição do nosso risco de doenças, ajudando na sua prevenção ou tratamento.

Todas as idades deverão praticar, sendo os maiores benefícios demonstrados quando praticamos pelo menos 150 minutos de atividades semanais, de moderada intensidade, divididos ao longo da semana (por exemplo 5 vezes de 30 minutos).

A prática é estimulada levando a ganhos de saúde e interferência positiva em outros pilares da MEV.

Sono

O terceiro pilar é o sono. Com o ritmo frenético a que somos impostos nos dias de hoje, é culturalmente aceitável que durmamos pouco. Muitas vezes as poucas horas dormidas são vistas até mesmo como sinal de força e maior capacidade de trabalho.

Mas, a redução na qualidade e quantidade de horas dormidas traz grandes perdas na nossa capacidade de concentração, de aprendizado, memória e piora do humor.

Traz ainda maior risco de inúmeras doenças como diabetes, obesidade e hipertensão arterial.

A MEV busca identificar os hábitos que interferem no nosso sono para que possamos modificá-los e intervir no meio em que vivemos, melhorando nossa capacidade de descansar e impactando positivamente na nossa qualidade de vida.

Controle de Tóxicos

Diferentemente das drogas ilícitas, o álcool e o tabaco (por serem lícitos) são bem aceitos e frequentemente consumidos na nossa sociedade.

O tabaco associado fortemente às doenças crônicas, principalmente as pulmonares, cardio e cérebro vasculares e os cânceres, deverá ser fortemente desencorajado.

O álcool poderá ser consumido desde que com controle adequado de sua quantidade.

Manejo do estresse

O quinto pilar envolve um aspecto muito presente no mundo atual, viciado em produtividade e ultra conectado.

Embora em algumas situações o estresse possa nos trazer benefícios, o estresse crônico está associado a doenças psiquiátricas como ansiedade e depressão e a doenças crônicas como a obesidade e doenças cardiovasculares.

Como não temos como impedir que eventos estressantes nos aconteçam, precisamos aprender a identificar as emoções negativas que eles nos causam e desenvolver formas de lidar com eles, promovendo saúde e bem-estar.

Relacionamentos

Somos seres sociais e necessitamos de interação com outras pessoas para nos mantermos emocional e fisicamente saudáveis.

Indivíduos com maiores conexões sociais são mais felizes, adoecem menos e são mais longevos. Desta forma, interações com familiares, amigos, vizinhos devem ser estimuladas e valorizadas.

Medicina do Estilo de Vida como conceito de saúde

Pode-se perceber que a MEV, através dos seus pilares, olha para o indivíduo como uma visão global, não considerando apenas a ausência de doença, mas sim o completo bem-estar físico, emocional e social do indivíduo, exatamente como na definição de Saúde da Organização Mundial de Saúde que data de 1948.

Assim, vimos que a MEV é a estruturação recente de conceitos antigos, mas absolutamente atuais.

***

Texto escrito por Dra. Roberta Portugal – endocrinologista certificada em medicina do estilo de vida.

Possui trechos adaptados do site do Colégio Brasileiro de Medicina do estilo de Vida (http://www.cbmev.org)

Instagram: @drarobertaportugal

http://www.drarobertaportugal.com.br

Dra. Roberta Portugal

Médica formada pela Universidade Federal Fluminense. Residência Médica em Clínica Médica pela UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e em Endocrinologia e Endocrinologia Pediátrica pelo IEDE (Instituto Estadual de endocrinologia e Metabologia). Certificada em Medicina do Estilo de Vida pelo International Board of LifeStyle Medicine (IBLM).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *