O que a NASA descobriu sobre o cochilo ?

Você já teve a sensação de estar vivendo “no mundo da lua” após uma noite mal dormida? Raciocínio lento, mente aérea, cabeça pesada, falta de atenção, dor, cansaço, indisposição, tristeza e mal-humor são sintomas que  podem resultar da restrição de sono após uma ou mais noites mal dormidas.

E fora da órbita terrestre a situação não é muito melhor, não. Mesmo mais próximos da lua e das estrelas, os pilotos e astronautas também estão sujeitos à restrição de sono.  O  barulho dos equipamentos, mudanças de fuso-horário, alta carga de responsabilidades e o simples fato de estar em um ambiente diferente de casa podem tornar impossível garantir as 8 horas de sono ideais. E, no caso deles, há um agravante: qualquer erro ou dormida no ponto pode levar a desfechos fatais para eles e para toda a tripulação.  

Haveria alguma solução para esse problema?

Alguma vez você já esteve tão cansado que deu um cochilo em algum momento do dia e despertou com a sensação de estar revigorado como se tivesse dormido por horas? Pois é, não é só uma sensação…

Essa estratégia já foi estudada até pela NASA em pilotos de espaçonaves, e revelou que pequenas sonecas programadas aumentaram o grau de alerta em 50% e a melhoraram a performance em 34% em relação aos pilotos que não cochilavam.

Outros estudos já apontam que o cochilo pode melhorar o humor, o grau de alerta, atenção, memória, reflexos, juízo crítico e capacidade de tomar decisões, contribuindo para o bem-estar e melhor performance no trabalho. Alguns estudos em idosos evidenciam inclusive menor risco de Alzheimer em pessoas que tem o hábito de cochilar à tarde.

Mas o cochilo tem que ser curtinho mesmo. No estudo da NASA, os cochilos não passaram de 30 minutos, porque, quando duram mais do que isso, podem nos embalar em fases mais profundas do sono, levando a uma sensação de cansaço ainda maior do que antes de cochilarmos, além de prejudicar a qualidade do sono da noite seguinte.

Como isso se aplica no dia a dia de quem vive com os pés na Terra, envolvido em preocupações e tarefas urgentes, correndo contra o tempo e com agendas lotadas?

Bem, claro que quando falamos em restrição de sono falamos de tratar a causa, reduzir o ritmo, desacelerar, rever a rotina, aplicar a higiene do sono, atentar para a alimentação, atividade física, níveis de estresse. Mas esse processo para um sono excelente pode ser longo e demorado, e vez ou outra algumas situações podem tornar difícil atingir as almejadas 8 horas de sono noturno.

O que pode ser feito, então, quando enfrentarmos um período transitório de restrição de sono, por qualquer motivo que seja ( sobrecarga de tarefas ou mesmo uma viagem à Lua), até conseguirmos retomar uma rotina de sono ideal? Quilos de energéticos? Litros de café? A NASA responde… muito melhor do que isso, um simples cochilo pode ser uma ótima solução!

Inspirada nos artigos:

Alertness management: strategic naps in operational setting“, publicado no Journal of Sleep Research, 1995

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/10607214/

Alertness management: strategic naps in operational setting“, publicado na revista Sleep, 2020

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32838563/

“Can a nap boost brain health?”

https://www.hopkinsmedicine.org/health/wellness-and-prevention/can-a-nap-boost-brain-health

Dra. Ellen D. A. Lessa

Médica Clínica e Geriatra, Certificada em Medicina do Estilo de Vida pelo IBLM / CBMEV Instagram: @dra.ellen.lessa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.