Pessoa “difícil de lidar” ou Burnout?

Você conhece ou está se tornando uma pessoa “difícil de lidar” no trabalho?

A execução do trabalho poderia ser percebida como primariamente prazerosa, no entanto, em muitas circunstâncias, ainda é sentida como sacrifício e que desencadeia sofrimento e adoecimento. Não pelo trabalho em si, mas pelo clima organizacional e emocional existente no ambiente.

O termo “Burnout”, de origem inglesa, designa algo que deixou de funcionar por exaustão de energia, geralmente em decorrência de uma má adaptação do indivíduo a um trabalho prolongado, altamente estressante e com grande carga tensional.

A exaustão profissional geralmente acarreta em transtornos que se manifestam além do trabalho, como: 

1. Baixa produtividade e alto absenteísmo (faltas no trabalho) 

2. Pensamentos pessimistas

3. Baixa energia emocional e mental 

4. Baixa imunidade, com infecções recorrentes 

5. Isolamento e rompimento de relações pessoais 

Porém, a síndrome pode estar associada a muito mais sintomas: 

– Físicos

  • Fadiga
  • dor muscular
  • sonolência
  • insônia
  • enxaqueca
  • problemas intestinais
  • baixa imunidade
  • disfunção sexual
  • alterações menstruais em mulheres

– Psíquicos

  • falta de atenção e concentração
  • alterações da memória
  • pensamento lento
  • alienação 
  • solidão
  • impotência
  • impaciência
  • labilidade emocional
  • dificuldade de autoaceitação
  • baixa autoestima
  • astenia
  • desânimo
  • depressão
  • desconfiança
  • paranoia

– Comportamentais

  • negligência
  • irritabilidade
  • agressividade
  • incapacidade para relaxar
  • rigidez
  • sem iniciativa
  • abuso de substancias 
  • ideação suicida

– Defensivos: 

  • isolamento
  • onipotência
  • ímpetos de abandono do trabalho
  • ironia
  • cinismo

Geralmente eles ocorrem de forma gradual e em diferentes fases:

  1. A  demanda de trabalho é maior que os recursos materiais e humanos gerando um estresse laboral 
  2. Ocorre um esforço do indivíduo em se adaptar e produzir uma resposta emocional ao desajuste percebido, aparecendo a fadiga e tensão 
  3. Ocorre um enfrentamento defensivo das tensões, com comportamentos de distanciamento emocional, retirada e rigidez, ignorando os sentimentos alheios

A Síndrome de Burnout ocorre com mais frequência nos profissionais que envolvem o cuidado e o lidar com pessoas, pela alta demanda psicológica, principalmente professores, profissionais da enfermagem, policiais, bombeiros e médicos, deixando evidente a maior necessidade de atenção ao autocuidado desses profissionais.

Na maioria das vezes, quem está em Burnout não percebe, e pode se envolver em transtornos de convivência, que interferem em muitas decisões no momento mais produtivo da vida. 

COMO PREVENIR A SÍNDROME DE BURNOUT: 

1. Crie novos hábitos 

2. Estabeleça prioridades para a sua carga de trabalho e proponha uma nova dinâmica para atividades diárias e alcançar objetivos profissionais 

3. Planeje o seu tempo de acordo com os seus valores 

4. Tenha um horário de trabalho fixo e tempo de descanso 

5. Delegue o que você não consegue fazer nesse momento 

6. Aprenda a dizer não 

7. Reconheça os gatilhos para o stress  

8. Faça uma prática mente-corpo de relaxamento todos os dias

9. Cultive a sua saúde mental

Fonte: https://www.rbmt.org.br/details/46/pt-BR/sindrome-de-burnout

Escrito por Dra. Mylla Carneiro – Médica Integrativa certificada em Medicina do Estilo de Vida

Instagram: @dramyllacarneiro

Dra. Mylla Carneiro

Médica pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. Certificada em Medicina do Estilo de Vida pelo American College of Lifestyle Medicine (ACLM).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *