Felicidade e Longevidade

O que nos mantém saudáveis e felizes ao longo da vida?

Se você fosse investir agora no seu futuro, em que dedicaria seu tempo e sua energia?

O famoso Estudo de Desenvolvimento de Harvard tem nos dado algumas pistas de boas respostas para essas perguntas. Através desse estudo, diversos aspectos da vida de 724 pessoas americanas tem sido analisados desde 1938, acompanhando sua trajetória na idade adulta e em seu envelhecimento, juntamente com seus companheiros de vida e seus descendentes.  

Dentre vários aspectos analisados, como status social, sucesso profissional, riqueza e fama, o aspecto da vida que foi mais associado às pessoas longevas é surpreendente: relacionamentos.

Bons relacionamentos nos mantém mais felizes e saudáveis. Conexões sociais são muito importantes para os seres humanos, e a solidão está associada a doença e morte. As pessoas que estão mais conectadas socialmente com a família, amigos e comunidade são mais felizes, mais saudáveis e vivem mais do que as pessoas que tem poucas conexões. Em contrapartida, a solidão é tóxica, e pessoas que são mais isoladas do que gostariam são menos felizes, sua saúde decai precocemente na meia idade, seu cérebro deteriora mais cedo e vivem vidas mais curtas do que aquelas que não são solitárias. E aqui vale ressaltar que pode-se ser solitário em meio à multidão, ou mesmo dentro de um relacionamento como o casamento.

Portanto, a qualidade dos relacionamentos importa mais do que a quantidade. O estudo revelou que as pessoas que estavam mais satisfeitas em seus relacionamentos aos 50 anos foram as que chegaram mais saudáveis aos 80 anos. Relacionamentos bons podem nos proteger de algumas circunstâncias adversas que enfrentamos ao longo da vida, como por exemplo, a dor física, que pode ser atenuada ou amplificada pela dor emocional, e também parecem proteger nosso cérebro de diversas doenças como as demências.  Por outro lado, relacionamentos conflituosos são tóxicos para a nossa saúde.

Por fim, sabemos que relacionamentos são tão confusos e complicados quanto nós, seres humanos, e cultivar bons relacionamentos requer trabalho duro, zelo e dedicação por uma vida inteira. Investir em relacionamentos seguros, com quem podemos contar mesmo em tempos difíceis, pode render bons frutos a longo prazo, para nossa saúde física e emocional.

Termino com a frase de Mark Twain que Robert Waldinger citou em seu TED TALK sobre o Estudo de Harvard: “Não há tempo, tão curta é a vida, para discussões banais, desculpas, amarguras, tirar satisfações. Só há tempo para amar, e, mesmo para isso, é só um instante.” (assista clicando no link https://www.youtube.com/watch?v=2gYTG1KIcjg)

Que tal investir em bons relacionamentos? Retomar uma amizade antiga, estreitar laços familiares, cultivar o sorriso de quem divide a vida todos os dias com você?

Dra. Ellen D. A. Lessa

Médica Clínica e Geriatra, Certificada em Medicina do Estilo de Vida pelo IBLM / CBMEV Instagram: @dra.ellen.lessa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.